Diálogos Globais

Conexões Globais

Cliente: Governo do Estado do Rio Grande do Sul – Secretaria de Comunicação e Inclusão Digital

Promover o diálogo hiperlinkado às redes da internet é a proposta do Conexões Globais, um pacote multimídia de eventos feito para reduzir distâncias e aproximar pessoas. Uma parceria entre a Joner Produções e a Infolibero – empresa do empreendedor multimídia Marcelo Branco –, que mescla cultura popular com tecnologias de comunicação para fortalecer redes sociais. A Joner é responsável pela idealização, produção e curadoria artística do evento.

O evento promove diálogos, webconferências e oficinas em que são abordados temas como a Cultura Digital, as mídias sociais, a participação social  e os direitos civis na internet. Grandes pensadores e ativistas da cultura digital de diversos países participam do evento, presencial e virtualmente. Todas as conferências são transmitidas ao vivo via web, num formato inovador: a interação com o público se dará também por meio do Twitter e de plataformas de redes sociais como o Facebook.

Oficinas voltadas para a troca de saberes e a capacitação para o uso de novas mídias, produção e edição multimídia, utilização das ferramentas digitais e estratégias para mídias sociais são realizadas simultaneamente. Uma intensa programação cultural de shows musicais, mostras de filmes e artes visuais mescla cultura popular com as novas tecnologias.

A primeira edição do Conexões Globais aconteceu entre os dias 25 e 28 de janeiro de 2012, em Porto Alegre/RS. O evento, que foi realizado durante o Fórum Social Temático e o Festival Internacional de Cultura Livre (FicLivre), converteu a Casa de Cultura Mário Quintana no epicentro de diálogos sobre ativismo social na era da internet. Mais de dez mil pessoas participaram das atividades – webconferências, oficinas, shows de música, artes visuais, mostra de filmes, Vjs, Djs, lançamentos de livros e painéis.

Todos os debates, shows e intervenções artísticas realizados na Travessa dos Cataventos foram transmitidos pela internet em tempo real. As 32 horas de cobertura ao vivo possibilitaram ao público que não pode comparecer pessoalmente  a oportunidade de interagir e assistir ao evento pela web. Foram mais de cem mil acessos no período do evento, e os vídeos ainda estão disponíveis no canal do Conexões no YouTube.

A segunda edição do Conexões Globais, que aconteceu entre os dias 23 e 25 de maio em Porto Alegre/RS, reuniu mais de oito mil pessoas na Casa de Cultura Mario Quintana, local onde foram realizadas atividades como webconferências, oficinas, shows de música, artes visuais, mostra de filmes, games e hub de ideias.

Promovido pela Secretaria de Comunicação e Inclusão Digital do Governo do Estado do Rio Grande do Sul – Secom e pela Secretaria de Cultura do Governo do Estado do Rio Grande do Sul – Sedac, o evento consolidou-se como um dos mais importantes do país na discussão de temas ligados à Cultura Digital e às novas tecnologias.

O público que não pode comparecer pessoalmente teve a oportunidade de interagir e assistir ao evento pela web. Todos os debates, shows e intervenções artísticas realizados na Travessa dos Cataventos foram transmitidos em tempo real, totalizando 21 horas de programação, em que foram contabilizadas 50.547 visualizações.

Cerca de 150 profissionais estiveram envolvidos diretamente na produção do evento, entre produtores, coordenadores, equipes de montagem e equipe de comunicação, além de outra centena de fornecedores de serviços que foram contratados, gerando empregos indiretos.

A terceira edição do evento aconteceu nos dias 24 e 25 de janeiro de 2014, em Porto Alegre, na Casa de Cultura Mario Quintana. A edição 2014 do Conexões Globais ocorreu paralelamente ao Fórum Social Temático e, assim como nas edições anteriores, as atividades foram transmitidas ao vivo pela internet, com cobertura colaborativa via redes sociais e espaço para ampla participação de internautas.

Entre os debatedores que participaram estavam grandes nomes como o cientista político finlandês Teivo Teivainen, membro fundador do Conselho Internacional do Fórum Social Mundial e com vários livros publicados; Ahmet M. Ogut, engajado em lutas contra discriminação migratória e a gentrificação urbana de Istambul desde 1990; David Miranda, coordenador da campanha para que o Brasil conceda asilo a Edward Snowden e companheiro do jornalista Glenn Greenwald, que denunciou vigilância da NSA; Bernardo Gutiérrez, jornalista e escritor, fundador da rede fundador da rede FuturaMedia.net e participante dos movimentos 15M; Bruno Torturra, jornalista e um dos principais porta-vozes da Mídia Ninja (Narrativas Independentes Jornalismo e Ação) e um dos articuladores do movimento Existe Amor em SP, integrante da Rede Pense Livre; Pablo Capilé, um dos principais articuladores da rede sociocultural Fora do Eixo e do NINJA – Narrativas Independentes de Jornalismo e Ação; o professor Sérgio Amadeu, ativista da liberdade na rede e membro do Comitê Gestor da Internet no Brasil; o pesquisador Fábio Malini, que atua na análise de redes sociais; o produtor do grupo Teatro Mágico, Gustavo Anitelli, um dos porta-vozes do MPB – Música para baixar, que trata do direito de baixar arquivos digitais pela internet; e a pesquisadora Ivana Bentes, da UFRJ, integrante da Rede Fórum de Mídia Livre e com várias pesquisas sobre comunicação, cultura e sociedade em rede.

Foram seis debates (três a cada dia), que colocaram na pauta os protestos que movimentam vários lugares do mundo – e que agitaram o Brasil em junho de 2013, entre outros temas. Uma das mesas, “Três anos de Revoltas Interconectadas – de Túnis ao Brasil“, trouxe justamente as interconexões entre as várias revoltas ao redor do mundo, enquanto o painel “As Jornadas de Junho e o Futuro da Democracia no Brasil” buscou entender o que veio (e o que ainda virá) como resultado das multidões que foram à rua no país. Em apoio a essas discussões, “Tecnopolítica dos #ProtestosBR e um Enfoque Global” trouxe à discussão o uso de ferramentas tecnológicas contemporâneas (como monitoramento, análise de dados e análise cartográfica dos protestos) no estudo dessas novas formas de organização social. O Conexões Globais também teve espaço para uma das discussões mais importantes da atualidade: “Soberania Digital e vigilância na era da Internet“. A lógica desenvolvimentista e o modelo de privatização de espaços públicos estiveram na mesa “Espaço público e sociedade em rede“. O diálogo sobre “Cultura de rede, colaborativa e digital” abordou os novos circuitos culturais colaborativos no Brasil, que utilizam a rede para difundir e ampliar a distribuição da megadiversidade cultural brasileira.

Uma intensa programação de atividades culturais e artísticas, como shows musicais e exposição de artes visuais também estiveram na programação. Vários grupos artísticos de Porto Alegre – a Cambada de Teatro em Ação Direta Levanta Favela, a Banda Farabute, a Novo Circo Cia de Dança e o Dziw Jazz Trio – ocuparam a Travessa dos Cataventos com esquetes teatrais, música e dança, em uma programação chamada de Travessa Viva. Com curadoria de Carla Joner, músicos nacionais e internacionais ocuparam os palcos do Teatro Carlos Carvalho e do Teatro Bruno Kiefer: o multiartista uruguaio Dani Umpi, o som “afroprogressivo” do músico mineiro Babilak Bah, a cantora gaúcha radicada em São Paulo (e que há anos não toca em Porto Alegre) Laura Finocchiaro e os portoalegrenses Nitro Di, Wander Wildner e a banda Apanhador Só.

O Conexões Globais 2014 foi uma realização da Associação Software Livre – http://softwarelivre.org/asl – com apresentação do Governo do Rio Grande do Sul e da Secretaria Geral da Presidência da República, parceria com o Fórum Social Temático 2014 e apoio da Casa de Cultura Mario Quintana, EBC – Empresa Brasileira de Comunicação, CRM – Companhia Riograndense de Mineração, Corsan, Detran-RS, Procergs, Caixa e Sulgás.

A cobertura completa pode ser conferida no site oficial: www.conexoesglobais.com.br

Outras edições do evento aconteceram em 2012 na Arena Socioambiental, na Cúpula Social do Mercosul e na 8ª edição da feira Brasil Rural Contemporâneo. Em 2013, o Conexões Globais passou a ser um evento exclusivo do Governo do estado do Rio Grande do Sul.

 

 

» conexões globais na mídia

[social_share/]