Elza canta e chora Lupi

Elza canta e chora Lupi

Nos dias 16 e 17 de dezembro de 2014, o Theatro São Pedro, em Porto Alegre/RS, recebeu a cantora Elza Soares para celebrar o centenário do compositor Lupicínio Rodrigues. No repertório do espetáculo Elza Soares canta e chora Lupicínio Rodrigues, marchinhas de carnaval e sambas-canção daquele que foi o inventor do termo “dor de cotovelo” em clássicos como “Esses Moços”, “Nervos de Aço” e “Se Acaso Você Chegasse”.
O show homenageou o compositor que deu a Elza Soares o primeiro sucesso de sua carreira: foi com “Se Acaso Você Chegasse” – seu primeiro single, gravado em 1960 – que Elza tornou-se popular. A cantora ganhou as paradas musicais quando introduziu o scat a la Louis Armstrong em sua versão, adicionando uma pitada de jazz ao samba. Desde então, Elza teve inúmeras músicas no topo das listas de sucesso no Brasil ao longo de sua trajetória artística.
“Eu canto e choro Lupicínio. O Lupicínio é um cara que viveu de amor, você vê aquela coisa dramática de amor e tem muito a ver comigo, porque a gente ama demais, meu coração esquece a razão”, contou Elza Soares em entrevista ao site G1.
O espetáculo “Elza Canta Lupicínio” – idealizado por Glauber Amaral, diretor da Barraventoartes, e que estreou em maio no Teatro Rival (RJ) e no Sesc Pinheiros (SP) – chegou a Porto Alegre em formato inédito, com adaptação artística de </>Carla Joner, diretora da Joner Produções. Novos elementos físicos, projeções e desenho de luz inédito criaram uma atmosfera poética e sensorial com clima jazz e noir, que remeteu aos anos 40 e 50. Os shows de Porto Alegre foram gravados pela Estação Filmes, com direção geral de Rene Goya, e transformados em um DVD ao vivo, o segundo da extensa carreira da artista.
Elza Soares subiu ao palco acompanhada por Eduardo Neves (diretor musical, flauta e sax), Antonio Neves (bateria), Gabriel Menezes (baixo), Gabriel Ballesté (guitarra) e Danilo Andrade (teclado), que revisitaram o repertório de Lupicínio Rodrigues com arranjos inusitados e contemporâneos.
Considerada a “voz do milênio” pela BBC de Londres, a carioca Elza Soares é cantora e compositora de samba, bossa nova, MPB, sambalanço, samba rock e hip-hop. Sua carreira remonta há mais de 50 anos. A voz rouca e vibrante é sua marca registrada, e seu estilo “levado” e exagerado fascina o público no Brasil e no exterior. Alguns dos maiores sucessos incluem: “Se Acaso Você Chegasse” (1960), “Boato” (1961), “Cadeira Vazia” (1961), “Só Danço Samba” (1963), “Mulata Assanhada” (1965) e “Aquarela Brasileira” (1974).
As apresentações em Porto Alegre foram uma coprodução entre a empresa paulista Barraventoartes e as gaúchas Joner Produções e Estação Filmes, com patrocínio da Caixa e apoio cultural do Governo do Estado do Rio Grande do Sul, Theatro São Pedro e Impacto Sonorização.

» Elza canta e chora Lupi na mídia

[social_share/]